Expedição ADAPTA 2013

No período de 3 a 15 de dezembro de 2013, uma expedição apoiada pelo INCT-ADAPTA percorreu o arquipélago de Anavilhanas, localizado no Rio Negro, Amazonas, Brasil, com o objetivo de analisar as espécies de peixes típicas da Região Amazônica e identificar os desafios enfrentados por elas em seu habitat natural. O grupo foi formado por cientistas internacionais de países como Áustria, Canadá e Bélgica, além de alunos de graduação e pós-doutorados do INPA, acompanhados dos pesquisadores brasileiros responsáveis pelo Laboratório Sede do INCT-ADAPTA.

 

“O maior valor da expedição foi o intercâmbio de ideias sobre as estratégias adaptativas do peixe do Rio Negro em seu ambiente desafiador”, afirmou Bernd Pelster, titular do Instituto de Zoologia da Universidade de Innsbruck, na Áustria. As águas deste rio apresentam acidez elevada e coloração escura devido à decomposição de sedimentos orgânicos provenientes da floresta.

 

Os trabalhos foram desenvolvidos pelos membros da expedição no barco “Ana Clara”, que foi ancorado junto à base flutuante do ICMBIO (Instituto Chico Mendes), também relatado nos depoimentos como “laboratório flutuante”. Dentre os principais experimentos realizados estavam os efeitos das mudanças climáticas sobre os peixes da Amazônia (em particular, efeito do aumento da temperatura e diminuição do oxigênio), a influência de diferentes composições da água sobre a toxicidade de metais em peixes do Rio Negro, a estrutura e as respostas do carbono orgânico dissolvido (DOC) à foto-oxidação, e os efeitos do ácido húmico no controle da respiração em peixes da região.

 

Os relatos dos pesquisadores estrangeiros são muito positivos e mostram que esta expedição ocorreu em um bom ambiente de trabalho e obteve muito sucesso. Confira os depoimentos abaixo:

 

****

From 3 to 15 December of 2013, an expedition supported by INCT-ADAPTA toured the Anavilhanas archipelago, located in Rio Negro, Amazonas, Brazil, with the purpose of analyzing typical fish species in the Amazon region and identifying challenges faced by them in their natural habitat. The group was formed by international scientists from countries like Austria, Canada and Belgium, as well as undergraduates and postdocs of INPA, accompanied by Brazilian researchers responsible for the INCT-ADAPTA Laboratory Headquarters.

 

“The greatest value of the expedition was in the interchange of ideas about the adaptive strategies of Rio Negro fish to their challenging environment”, said Bernd Pelster, head of the Institute of Zoology, University of Innsbruck, Austria. This river’s waters have high acidity and dark coloration due to organic sediments decomposition from the forest.

 

The project was developed by expedition’s members on the boat “Ana Clara”, which was anchored near the floating base of ICMBIO (Chico Mendes Institute), also reported in the statements such as “floating laboratory”. The main experiments were the effects of climate change on the Amazon fish (in particular, the effect of increased temperature and decreased oxygen), the influence of different water compositions on metals toxicity in Rio Negro’s fishes, the structure and the responses of dissolved organic carbon (DOC) to photo-oxidation, and the effects of humic acid in breathing control of fish from the region.

 

The reports of foreign researchers are very positive and show that this expedition took place in a good working environment and was very successful. Check out the testimonials:

 

Dr. Bernd Pelster

O programa ADAPTA me permitiu interagir com um grupo diversificado e talentoso de biólogos ambientais internacionais e com excelentes alunos de graduação do INPA em nossa recente viagem de campo ao arquipélago de Anavilhanas no Rio Negro. Lá, eu colaborei com Chris Wood (Canadá) em um estudo sobre a fisiologia do intestino de três espécies de peixes caracídeos filogeneticamente relacionados que diferem em suas dietas: a piranha preta (carnívora – intestino curto), o tambaqui (onívoro – intestino de comprimento médio), e o Myleus pacu (herbívoro – intestino muito longo). Nós medimos as taxas metabólicas dos animais, assim como as taxas de excreção de nitrogênio e os dados que sugeriam N-limitação nos herbívoros. Amônia e taxas de absorção de glicose pelo intestino foram, no geral, semelhantes nas três espécies em termos de área específica (com diferentes padrões em diferentes reigões), mas quando as grandes diferenças no comprimento intestinal de cada especie foram levadas em conta, o pacu herbívoro exibiu, de longe, a maior capacidade de captação para os dois nutrientes. Por outro lado, a piranha, carnívora, demonstrou a menor capacidade. Os íons (Na+ e Cl-) e a absorção de fluidos do intestino pareceu ser isosmótica em todas as três espécies. Em comparação com as espécies previamente analisadas, a absorção de líquidos pelos peixes do Rio Negro foi muitas vezes maior, sugerindo que a aquisição de íons da comida é parte importante do equilíbro eletrolítico global nestas espécies endêmicas de águas escuras ácidas e pobres em íons. Em um segundo projeto, fomos capazes de coletar amostras de tecido muscular e órgãos de respiração de três espécies de peixes do Rio Negro, e medições preliminares da concentração de GSH indicaram que os tecidos expostos ao ar possuem uma capacidade anti-oxidante superior. Estas amostras serão analisadas em um futuro próximo no INPA, em Manaus. Apesar destes resultados serem fantásticos, o maior valor da expedição foi o intercâmbio de ideias sobre as estratégias adaptativas do peixe do Rio Negro em seu ambiente desafiador.

 

Titular do Instituto de Zoologia

Universidade de Innsbruck, Áustria

Tradução: Ana Luisa Hernandes

 

 

The ADAPTA program allowed me to interact with a diverse and talented group of international environmental physiologists and with a superb group of INPA graduate students on our recent field trip to the Anavilhanas Archipelago on the Rio Negro. There I collaborated with Chris Wood (Canada) in a study on gut physiology of three closely related characids differing in their diets: the black piranha (carnivorous – short intestine), the tambaqui (omnivorous – medium length intestine), and the myleus pacu (herbivorous – very long intestine). We measured whole organism metabolic rates as well as nitrogen excretion rates, and the data suggested N-limitation in the herbivore. Ammonia and glucose uptake rates through the intestine were generally similar in the three species on an area-specific basis (with different regional patterns), but when the large differences in intestinal length are taken into account, the herbivorous pacu exhibited by far the greatest uptake capacity for both nutrients. Conversely, the carnivorous piranha demonstrated the lowest capacities. Ion (Na+ and Cl-) and fluid absorption of the intestine appeared to be isosmotic in all three species. Compared to species previously analyzed fluid absorption in these Rio Negro fish was many-fold higher, suggesting that ion acquisition from the food is an important part of overall electrolyte balance in these species endemic to the ion-poor, acidic blackwaters. In a second project we were able to collect tissue samples from muscle and air-breathing organs of three species of Rio Negro fish, and preliminary measurements of the GSH concentration indicate that tissues exposed to air have a higher anti-oxidative capacity. These samples will be analyzed in the near future at the INPA in Manaus. While these results are exciting in themselves, the greatest value of the expedition was in the interchange of ideas about the adaptive strategies of Rio Negro fish to their challenging environment.

 

Chair of the Institute of Zoology

University of Innsbruck, Austria

 

 Dr. Chris M. Wood

O programa ADAPTA, juntamente com minha bolsa de trabalho no Programa Ciência sem Fronteiras do CNPq, me permitiu interagir com um grupo diversificado e talentoso de biólogos ambientais internacionais e fisiologistas, assim como com excelentes alunos de graduação e pós-doutorandos do INPA em nossa recente viagem de campo ao arquipélago de Anavilhanas no Rio Negro. Lá, entre muitos projetos sobre espécies de peixes nativos às águas pretas do Rio Negro, eu colaborei com Bernd Pelster (Áustria) em um estudo sobre a fisiologia do intestino de três caracídeos filogeneticamente relacionados que diferem em suas dietas: a piranha preta (carnívora – intestino curto), o tambaqui (onívoro – intestino de comprimento médio), e o Myleus pacu (herbívoro – intestino muito longo). Enquanto todas as taxas metabólicas totais do organismo foram semelhantes, as de tambaqui e pacu exibiram o menor N quociente, sugerindo N-limitação no herbívoro. Amônia e taxas de absorção de glicose pelo intestino foram semelhantes nas três espécies em uma base específica de área (com diferentes padrões regionais), mas quando as grandes diferenças no comprimento intestinal são levadas em conta, o pacu herbívoro exibe, de longe, a maior capacidade de captação para os dois nutrientes. Por outro lado, a piranha carnívora demonstrou a menor capacidade. Todas as três espécies absorveram íons (Na, Cl) e fluído isosmótico através do intestino com taxas muitas vezes maiores do que em peixes teleósteos previamente estudados, sugerindo que a aquisição de íons da comida é parte importante do equilíbro eletrolítico global nestas espécies endêmicas de águas escuras ácidas e pobres em íons. Apesar destes resultados serem fantásticos, o maior valor da expedição foi o intercâmbio de ideias sobre as estratégias adaptativas do peixe do Rio Negro em seu ambiente desafiador.

 

Titular de Pesquisa em Meio Ambiente e Saúde

Universidade McMaster, Hamilton, Canadá

Universidade de British Columbia, Vancouver, Canadá

Universidade de Miami, Estados Unidos

Tradução: Ana Luisa Hernandes

 

 

The ADAPTA program, together with my Science without Borders Fellowship, allowed me to interact with a diverse and talented group of international environmental biologists and physiologists as well as superb INPA graduate students and postdoctoral fellows on our recent field trip to the Anavilhanas Archipelago on the Rio Negro. There, among many projects on fish species native to the black waters of the Rio Negro, I collaborated with Bernd Pelster (Austria) in a study on gut physiology of three closely related characids differing in their diets: the black piranha (carnivorous – short intestine), the tambaqui (omnivorous – medium length intestine), and the myleus pacu (herbivorous – very long intestine). While whole organism metabolic rates were similar, the latter exhibited the lowest N quotient, suggesting N-limitation in the herbivore. Ammonia and glucose uptake rates through the intestine were generally similar in the three species on an area-specific basis (with different regional patterns), but when the large differences in intestinal length are taken into account, the herbivorous pacu exhibited by far the greatest uptake capacity for both nutrients. Conversely, the carnivorous piranha demonstrated the lowest capacities. All three species absorbed ions (Na, Cl) and fluid isosmotically through the intestine at rates many-fold higher than in previously studied teleost fish, suggesting that ion acquisition from the food is an important part of overall electrolyte balance in these species endemic to the ion-poor, acidic blackwaters. While these results are exciting in themselves, the greatest value of the expedition was in the interchange of ideas about the adaptive strategies of Rio Negro fish to their challenging environment.

 

Canada Research Chair in Environment and Health

McMaster University, Hamilton, Canada

University of British Columbia, Vancouver, Canada

University of Miami, U.S.A.

 

Dr. Colin Brauner

Colin Brauner, professor de Zoologia na Universidade de British Columbia, Canadá, participou da expedição financiada do ADAPTA ao arquipélago de Anavilhanas, Amazonas, Brasil. Ele trabalhou com um time de pesquisadores internacionais em colaboração com pesquisadores brasileiros e estudantes, em um laboratório flutuante neste importante ponto de biodiversidade de peixes. O foco principal desta pesquisa foi lançar uma visão sobre como as mudanças climáticas, particularmente projetadas no aumento da temperatura em conjunto com reduções de oxigênio,  podem afetar os peixes da Amazônia. Embora muitas espécies tenham sido tolerantes a estas mudanças projetadas, outras foram identificadas como sendo muito sensíveis. Estas espécies mais sensíveis serão o foco de estudos futuros para investigar como as mudanças climáticas podem afetar estas espécies e como elas podem se aclimatar ou adaptar a essas mudanças.

 

 

Professor de Zoologia

Universidade de British Columbia, Canadá

Tradução: Ana Luisa Hernandes

 

Colin Brauner, a Professor of Zoology at the University of British Columbia, Canada, joined the ADAPTA funded expedition to the Anavilhanas archipelago, Amazonas, Brazil. He worked with a team of international researches in collaboration with Brazilian researches and students, on a floating laboratory in this hot spot of fish biodiversity. The primary focus of this research was to shed insight into how climate change, particularly projected increases in temperature in conjunction with reductions in oxygen, may impact fishes of the Amazon. While many species were tolerant of these projected changes, others were identified as being very sensitive. These more sensitive species will be the focus of future studies to investigate how climate change may impact these species and how these species may acclimate or adapt to these changes.

 

Professor of Zoology

University of British Columbia, Canada

 

 Dr. William R. Driedzic and Dr. Ben Speers-Roesch

As mudanças climáticas terão impactos sobre os ecossistemas incluindo alterações em alimentos disponíveis para os peixes. Durante nossa recente expedição apoiada pelo ADAPTA, estudamos a capacidade de peixes filogeneticamente relacionados em quebrar e sintetizar glicose, utilizando espécies herbívoras a carnívoras. Os experimentos foram possíveis através da disponibilidade de espécies que só poderiam ser obtidas e processadas em um laboratório local.

 

Centro de Ciências Oceanográficas

Universidade Memorial de Newfoundland, Newfoundland e Labrador, Canadá

 

 

Centro de Ciências Oceanográficas

Universidade Memorial de Newfoundland, Newfoundland e Labrador, Canadá

Tradução: Ana Luisa Hernandes

 

 

Climate change will have impacts upon ecosystems including changes in food available to fish. During our recent expedition supported by ADAPTA we studied the ability of closely related fish from herbivores to carnivores to breakdown and synthesize glucose. The experiments were made possible by the availability of species that could only be obtained and processed at an “on site” laboratory.

 

Ocean Sciences Centre

Memorial University of Newfoundland, Newfoundland and Labrador, Canada

 

Ocean Sciences Centre

Memorial University of Newfoundland, Newfoundland and Labrador, Canada

 

Dr. Graham Scott

Eu tive um período fantástico na expedição do ADAPTA pela Amazônia. A incrível diversidade de espécies de peixes foi inspiradora, e enfatizou o quão pouco ainda sabemos sobre as muitas estratégicas fisiológicas utilizadas pelos peixes para lidar com ambientes estressantes. Meu trabalho na expedição ajudou a determinar como a respiração dos peixes responde a baixos níveis de oxigênio na água – um desafio que está se tornando cada vez mais comum com as mudanças climáticas. A pesquisa que fizemos e as discussões científicas úteis que tive com todos os membros da expedição terão um impacto duradouro sobre o meu programa de pesquisa.

 

Departamento de Ciências Biológicas

Universidade de Hull, Yorkshire, Reino Unido

Tradução: Ana Luisa Hernandes

 

 

I had a fantastic time on the ADAPTA expedition in the Amazon. The incredible diversity of fish species was inspiring, and it emphasized how little we still know about the many physiological strategies fish use to cope with stressful environments. My work on the expedition helped determine how air-breathing fish respond to low oxygen in the water – a challenge that is becoming increasingly common with climate change. The research we did and the useful scientific discussions I had with all the members of the expedition will have a lasting impact on my research program.

 

Department of Biological Sciences

University of Hull, Yorkshire, UK

 

 Dr. Grant McClelland

Os peixes da Amazônia são um fantástico sistema para trabalhar, e como um cientista interessado na função do músculo esquelético, eles representam uma diversidade de possíveis adaptações biológicas neste importante tecido. O exercício é uma das atividades mais energicamente custosas desempenhadas por animais enquanto eles exigem que seus músculos trabalhem próximos aos seus limites fisiológicos. Como membro da “Excursão para Anavilhanas”, eu estava interessado na diversidade de espécies e suas diferenças quanto à capacidade de recuperação após exercício intenso e exaustivo. A rápida recuperação do exercício é importante para evitar a predação ou a captura da presa, e este pode ser afetado por mudanças na temperatura da água, oxigênio dissolvido, e pH. Assim, este trabalho se encaixa nos temas 1 e 2 do ADAPTA. O apoio do INCT ADAPTA possibilitou o acesso ao Rio Negro e a realização destas experiências emocionantes.

 

Departamento de Biologia

Universidade McMaster, Hamilton, Canadá

Tradução: Ana Luisa Hernandes

 

 

The fishes of the Amazon are an amazing system to work on, and as a scientist interested in skeletal muscle function they represent a diversity of potential physiological adaptations in this important tissue. Exercise is one of the most energetically costly activities performed by animals as it pushes muscles close to their physiological limits. As a member of the “Excursão para Anavilhanas” I was interested in the diversity of different species in the ability to recover from intense exhaustive exercise. Rapid recovery from exercise is important to avoid predation or catch prey, and it may be affected by changes in water temperature, dissolved oxygen, and pH. Thus, this work fits within ADAPTA’s themes 1 and 2. Support from INCT ADAPTA made it possible to access the Rio Negro and carry out these exciting experiments.

 

Department of Biology

McMaster University, Hamilton, Canada

 

Dra. Gudrun De Boeck

Como ecofisiologista e ecotoxicologista de peixes, acredito que os desafios ambientais aos quais os peixes estão expostos no Rio Negro são únicos. A água extremamente mole (pobre em íons) e ácida, proporciona a alta demanda de osmorregulação de peixes e, ao mesmo tempo, os altos níveis de carbono orgânico dissolvido (DOC) podem ter efeitos protetores. A expedição do ADAPTA me deu a oportunidade de pesquisar espécies de peixes locais em seu ambiente natural, na revigorante e estimulante companhia de um seleto grupo de cientistas internacionais. Eu notei a influência de diferentes composições da água sobre a toxicidade de metais em peixes do Rio Negro, na água do Rio Negro, bem como em águas com uma composição similar, porém sem o efeito protetor do DOC. Ao mesmo tempo, gostei da companhia e discussões com outros cientistas e obtive novas ideias. Isso não seria possível sem a hospitalidade de Adalberto e Vera Val, que encontraram tempo não somente para fazer pesquisas, mas também para serem os anfitriões perfeitos e fazerem o trabalho pesado tornar-se agradável e refrescante.

 

Professora de Fisiologia Animal

Universidade de Antuérpia, Bélgica

Tradução: Ana Luisa Hernandes

 

 

As a fish ecophysiologist en ecotoxicologist, the environmental challenges that fish are exposed to in the Rio Negro are unique. Extremely soft and acidic water which put a high demand on fish osmoregulation, but at the same time high levels of dissolved organic carbon (DOC) can have protective effects. The ADAPTA expedition gave me an opportunity to do research on local fish species in their natural environment, in the invigorating and stimulating company of a select group of international scientists. I looked at the influence of different water compositions on the toxicity of metals to fish of the Rio Negro, in Rio Negro water as well as in water with a similar composition but without the protective DOC. At the same time I enjoyed the company and discussions with other scientists and get new ideas. This would not be possible without the hospitability of Adalberto and Vera Val, who found the time not only to do research themselves, but also to be the perfect hosts and make the hard work enjoyable and refreshing.

 

Professor in Animal Physiology

University of Antwerp, Belgium

 

 Dr. Kevin V. Brix

Sou um pós-doutorando na Universidade de British Columbia interessado em saber como os peixes se adaptam às novas condições provocadas pelas mudanças ambientais, tanto de origem natural quanto antropogênica. O programa ADAPTA e a recente expedição para o arquipélago de Anavilhanas, liderada pelos Drs. Adalberto Val e Vera Val, proporcionaram-me uma grande oportunidade de explorar os efeitos interativos de temperatura e hipóxia em uma variedade de espécies amazônicas. O aumento de temperatura associado à mudança climática tem o potencial de aumentar também a duração e a magnitude dos eventos da hipóxia. Nós examinamos a temperatura e a tolerância à hipóxia de uma grande variedade de peixes, e observamos uma relação geral entre o aumento da tolerância de temperatura e o aumento da tolerância à hipóxia em todas as espécies. Curiosamente, o aumento relativamente modesto na temperatura de 2 a 4°C reduziu drasticamente a tolerância à hipóxia para algumas espécies, sugerindo consequências potencialmente negativas resultantes das mudanças climáticas em cenários futuros. Além das fantásticas oportunidades de pesquisa, eu também gostei muito de conhecer e colaborar com cientistas brasileiros e estudantes, os quais estou confiante de que irão contribuir para futuras colaborações a longo prazo.

 

Departamento de Zoologia

Universidade de British Columbia, Canadá

Tradução: Ana Luisa Hernandes

 

 

I’m a Post-Doctoral Fellow at the University of British Columbia interested in how fish adapt to changing environmental conditions of both natural and anthropogenic origin. The ADAPTA program and recent expedition to the Anavilhanas archipelago led by Drs. Aldaberto Val and Vera Val, provided me with a great opportunity to explore the interactive effects of temperature and hypoxia on a range of Amazonian species. Increasing temperatures associated with climate change has the potential to also increase both the duration and magnitude of hypoxic events. We surveyed the temperature and hypoxia tolerance of a wide range of fishes and observed a general relationship between increasing temperature tolerance and increasing hypoxia tolerance across species. Interestingly, relatively modest increases in temperature of 2 to 4°C dramatically reduced hypoxia tolerance for number of species, suggesting potentially negative consequences of future climate change scenarios. In addition to the exciting research opportunities, I also greatly enjoyed the chance to meet and collaborate with Brazilian scientists and students, which I’m confident will lead to long-term future collaborations.

 

Department of Zoology

University of British Columbia, Canada

 

Dra. Ora Johannsson

Tenho sido muito privilegiada por participar do programa ADAPTA, que fornece não somente uma excelente plataforma de questionamentos científicos relevantes e interessantes, mas também uma oportunidade significativa para interagir com estudantes e outros pesquisadores em um bom ambiente de trabalho. Dois estudantes do INPA, Helen Sadauskas e Rafael Duarte, e eu, temos interesses similares e, portanto, decidimos iniciar uma colaboração para estudar a estrutura e as respostas do carbono orgânico dissolvido (DOC) à foto-oxidação. O sistema Rio Negro é único na diversidade de habitats inundados com águas de alto DOC proporcionando a oportunidade de determinar se o habitat pode afetar a qualidade do DOC e seu potencial para responder à foto-oxidação. Além da estrutura do DOC, nós examinamos a produção de ROS em diferentes sistemas, que podem ser melhorados por DOC.

 

O DOC pode ser bastante protetor para organismos em muitos casos. Há também evidências de que os produtos de foto-oxidação (espécies reativas de oxigênio e pequenas moléculas orgânicas) podem ser prejudiciais para organismos aquáticos. Nós incorporamos dois testes rápidos – um para observar os efeitos do cobre no grau de foto-oxidação do DOC e o segundo para examinar o impacto de produtos da foto-oxidação no sistema anti-oxidante em peixes.

 

Estes tipos de experiência podem fornecer não somente boa informação científica, mas também promover a colaboração e a formação de redes que são benéficas para todos, especialmente aos estudantes que estão apenas começando suas carreiras.

 

Cientista Emérita, Pesca e Oceanos, Canadá

Professora Adjunta, Universidade de British Columbia, Canadá

Tradução: Ana Luisa Hernandes

 

 

I have been very privileged to participate in the ADAPTA program, which provides no only an excellent platform for asking relevant and interesting scientific questions, but also a meaningful opportunity to interact with students and other researchers in a working environment. Two students from INPA, Helen Sadauskas and Rafael Duarte, and I have similar interests and thus struck up in a collaboration to study the structure and responses of dissolved organic carbon (DOC) to photo-oxidation. The Rio Negro system is unique in the diversity of habitats inundated with high DOC waters providing the opportunity to determine whether habitat might affect the quality of the DOC and its potential to respond to photo-oxidation. In addition to DOC structure we examined the production of ROS in the different systems, which can be enhanced by DOC.

 

DOC can be very protective to organisms in many instances. There is also evidence that the products of photo-oxidation (reactive oxygen species and small organic molecules) may be detrimental to aquatic organisms. We incorporated two quick tests – one to look at the effect of cooper on the degree of photo-oxidation of DOC and the second to examine the impact of photo-oxidation products on the anti-oxidant system in fish.

 

These types of experience not only can provide good scientific information, but also promote collaboration and formation of networks that are a benefit to all, especially the students who are just starting on their careers.

 

Scientist Emeritus, Fisheries and Oceans, Canada

Adjunct Professor, University of British Columbia, Canada

 

Dr. Steve Perry and Dra. Kathleen Gilmour

Os professores Steve Perry e Kath Gilmour estudam os mecanismos que permitem que os peixes enviem e respondam a mudanças em seu ambiente. De particular interesse são os ajustes fisiológicos que acompanham as mudanças nos níveis de O₂ e CO₂ da água e temperatura. A água escura do Rio Negro, na qual se baseia parte da Amazônia, é caracterizada por níveis extremamente elevados de carbono orgânico dissolvido (DOC), dos quais cerca de 40% são ácido húmico. Devido o ácido húmico ser marrom e interferir na olfação e comunicação química entre os peixes, questionamos como os peixes do Rio Negro podem ter se adaptado às várias mudanças ambientais em seu habitat natural. A expedição ao Rio Negro, liderada pelos doutores Adalberto e Vera Val nos proporcionou a oportunidade única de estudar os efeitos do DOC e, em particular, os efeitos do ácido húmico no controle da respiração em peixes da Amazônia. Os resultados sugerem que a química da água, a qual é singular no Rio Negro, permite que os efeitos negativos do ácido húmico no sensoriamento dos animais e controle da respiração possam ser contrabalançados pelos efeitos cumulativos da matéria orgânica ambiental dissolvida restante. Compreender a química da água singular da Amazônia irá melhorar nossa capacidade de prever os efeitos das mudanças climáticas na abundante, diversa e frágil fauna aquática deste ecossistema.

 

Departamento de Biologia

Universidade de Ottawa, Canadá

 

Departamento de Biologia

Universidade de Ottawa, Canadá

Tradução: Ana Luisa Hernandes

 

 

Professors Perry and Gilmour study the mechanisms that enable fish to send and respond to changes in their environment. Of particular interest are the physiological adjustments that accompany changes in water O₂ and CO₂ levels and temperature. The black water of the Rio Negro within the Amazon bases is characterized by extremely high levels of dissolved organic carbon (DOC) of which approximately 40% is humic acid. Because humic acid is brown to interfere with olfaction and chemical communication between fish, we questioned how the fish of the Rio Negro might have become adapted to several environmental changes in their natural habitat. The expedition to the Rio Negro led by Dr. Adalberto Val and Dr. Vera Val provided us with a unique opportunity to study the effects of DOC and in particular the effects of humic acid on the control of breathing in fish of the Amazon. The results suggest that the unique water chemistry of the Rio Negro allows for the negative effects of humic acid on environmental sensing and control of breathing to be counter-balanced by the cumulative effects of the remaining dissolved organic matter. Understanding the unique water chemistry of the Amazon bases will improve our ability to predict the effects of climate change on the abundant, diverse and fragile aquatic fauna of this ecosystem.

 

Department of Biology

University of Ottawa, Canada

 

Department of Biology

University of Ottawa, Canada