Pesquisas iniciais revelam que mudanças climáticas afetam crescimento do tambaqui

Os estudos são preliminares e os resultados já fazem parte dos dados gerados pelo microcosmos, salas que simulam as mudanças climáticas conforme o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC)

 

Por Luciete Pedrosa

 

Ascom Inpa

 

Durante a abertura do V Workshop INCT Adapta, realizado no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI), o coordenador do projeto Adapta e diretor do Inpa, Adalberto Val, afirmou que estudos preliminares apontam que as mudanças climáticas afetam o tamanho do tambaqui. De acordo com ele, os experimentos feitos no microcosmos apontam para um retardamento do crescimento de uma das espécies de peixe de maior potencial econômico da região amazônica.

 

“De uma maneira geral, o que observamos é que cenários mais drásticos dos microcosmos causam mudanças muito expressivas na biologia dos organismos, não só do ponto de vista da adaptabilidade do ambiente, mas com reflexos significativos de importância para o homem”, disse.

 

As salas do microcosmos fazem parte da estrutura do Laboratório de Ecofisiologia e Evolução Molecular (LEEM) do Inpa, e simulam as mudanças climáticas conforme o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC). “Há uma série de ações desse tipo que precisam ser estudas. Estas são observações iniciais e que precisam ser avaliadas mais profundamente”, relatou Val. 

 

O evento

 

O V Workshop INCT Adapta tem como objetivo apresentar os avanços e resultados obtidos em diversas pesquisas ao longo do desenvolvimento do projeto Adaptações da Biota Aquática da Amazônia. O evento, que tem como tema “Novos paradigmas científicos e mudanças climáticas globais”, se estenderá até a próxima quinta-feira (27).

 

Além de Adalberto Val, participaram da abertura do workshop o coordenador de Apoio à Parcerias Institucionais do CNPq, Alcebíades Francisco de Oliveira Júnior, o diretor-substituto do Inpa, Estevão Vicente Monteiro de Paula, e a coordenadora de Pesquisas do Inpa, Hilândia Brandão da Cunha.

 

Para este workshop foram convidados líderes de outros nove INCTs a fim de formar uma rede colaborativa. “O Brasil tem que liderar a agenda internacional na questão da biodiversidade aquática”, ressaltou o diretor do Inpa.

 

Foto: Daniel Jordano/Ascom Inpa

 

Confira o resumo do primeiro dia do V Workshop INCT Adapta