Mudanças climáticas é tema de projeto de cooperação com Eslovênia

“Efeitos de mudanças climáticas sobre processos vitais em animais aquáticos” foi um dos projetos aprovados pelo edital de cooperações internacionais do CNPq. Será coordenado pelo Dr. Adalberto Luís Val e parte dele conduzido pela doutoranda Daiani Kochhann, do Laboratório de Ecofisiologia e Evolução Molecular. Trata-se de um trabalho de cooperação entre o Brasil e a Eslovênia, portanto Daiani deverá passar algum tempo naquele país em fevereiro próximo para aprender técnicas de dosagem metabólica. Posteriormente estdantes e o coordendor do laboratório Esloveno, Anton Brancelj virão ao Brasil trabalhar com as espécies amazônicas, e a equipe brasileira fará etudos com as espécies Eslovenas. Trata-se  de uma proposta inovadora que integrará o conjunto de experimentos em curso no âmbito do INCT ADAPTA e do NIB/Eslovênia. Além da transferência da tecnologia, esta cooperação permitirá a capacitação dos profissionais brasileiros e eslovenos; estes na área de expressão gênica usando equipamentos de nova geração (Sollid Platform). A importância deste trabalho está na geração de medidas comparativas dos efeitos das mudanças ambientais, como temperatura e CO2, sobre parâmetros comportamentais, fisiológicos, como estresse respiratório, e de expressão gênica de organismos aquáticos de zona temperada e tropical. Para isso está previsto o estudo das seguintes esécies amazônicas: o ciclídeo Apistogramma hyppolitae, que habita igarapés de terra firme da Amazônia exibindo cuidado com a prole, territorialidade e organização social hierárquica, fatores que permitem observações de comportamento; o rivulídeo Rivulus compressus, peixe anual, habitante de poças transitórias adjacentes a igarapés de terra firme, com comportamento diferenciado para períodos de baixa disponibilidade de água, permitindo a análise de respostas à mudanças extremas do ambiente; e espécies de microcrustáceos que possuem um ciclo de vida rápido e se constituem num item da cadeia alimentar dos peixes.

Por Márcio Ferreira