Mudanças climáticas é tema de projeto de cooperação com Eslovênia

“Efeitos de mudanças climáticas sobre processos vitais em animais aquáticos” foi um dos projetos aprovados pelo edital de cooperações internacionais do CNPq. Será coordenado pelo Dr. Adalberto Luís Val e parte dele conduzido pela doutoranda Daiani Kochhann, do Laboratório de Ecofisiologia e Evolução Molecular. Trata-se de um trabalho de cooperação entre o Brasil e a Eslovênia, portanto Daiani deverá passar algum tempo naquele país em fevereiro próximo para aprender técnicas de dosagem metabólica. Posteriormente estdantes e o coordendor do laboratório Esloveno, Anton Brancelj virão ao Brasil trabalhar com as espécies amazônicas, e a equipe brasileira fará etudos com as espécies Eslovenas. Trata-se  de uma proposta inovadora que integrará o conjunto de experimentos em curso no âmbito do INCT ADAPTA e do NIB/Eslovênia. Além da transferência da tecnologia, esta cooperação permitirá a capacitação dos profissionais brasileiros e eslovenos; estes na área de expressão gênica usando equipamentos de nova geração (Sollid Platform). A importância deste trabalho está na geração de medidas comparativas dos efeitos das mudanças ambientais, como temperatura e CO2, sobre parâmetros comportamentais, fisiológicos, como estresse respiratório, e de expressão gênica de organismos aquáticos de zona temperada e tropical. Para isso está previsto o estudo das seguintes esécies amazônicas: o ciclídeo Apistogramma hyppolitae, que habita igarapés de terra firme da Amazônia exibindo cuidado com a prole, territorialidade e organização social hierárquica, fatores que permitem observações de comportamento; o rivulídeo Rivulus compressus, peixe anual, habitante de poças transitórias adjacentes a igarapés de terra firme, com comportamento diferenciado para períodos de baixa disponibilidade de água, permitindo a análise de respostas à mudanças extremas do ambiente; e espécies de microcrustáceos que possuem um ciclo de vida rápido e se constituem num item da cadeia alimentar dos peixes.

Por Márcio Ferreira

Pesquisadores do ADAPTA aprovam vários projetos no Edital Universal do CNPq

O Ministério da Ciência e Tecnologia – MCT e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq  anunciaram no última dia 13 o resultado do edital Universal 2011, que tem por objetivo selecionar propostas para apoio financeiro a projetos que visem contribuir significativamente para o desenvolvimento científico e tecnológico do País, em qualquer área do conhecimento. As propostas aprovadas serão financiadas com recursos no valor global estimado de R$ 120.000.000,00 (Cento e vinte milhões de reais), sendo R$ 50.000.000,00 (cinqüenta milhões de reais) oriundos do orçamento do CNPq e R$ 70.000.000,00 (setenta milhões) oriundos do FNDCT/Fundos Setoriais, a serem liberados em duas parcelas, de acordo com a disponibilidade orçamentária e financeira do CNPq. Dentre os pesquisadores do ADAPTA que tiveram projetos aprovados, estão: Adalberto Luis Val (coordenador), Maria Teresa Fernandes Piedade (vice-coordenadora); Hilandia Brandão da Cunha; Eliana Feldberg; Fabíola Domingos Valdez; Miriam Silva Rafael; Vera Maria Fonseca de Almeida; Bernardo Baldisseroto; Florian Wittmann (Lab Associado ADAPTA-INPA/MPI-MAUA); Jochen Schoengart (Lab Associado ADAPTA-INPA/MPI-MAUA); Keillah Mara do Nascimento Barbosa (Lab Associado ADAPTA-INPA/MPI-MAUA).

Parabéns à todos !

Por Márcio Ferreira

 

Pesquisadora do ADAPTA-INPA é premiada em Bonn, na Alemanha

Em reconhecimento ao trabalho desenvolvido em prol da pesquisa, a pesquisadora do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI), Maria Teresa Fernadez Piedade, foi recentemente agraciada com o prêmio Joachim Adis de Ecologia Tropical Interdisciplinar edição 2011. A cerimônia oficial de premiação aconteceu no último dia 9, durante o Simpósio Latino Americano realizado no Instituto de Pesquisa Zoológica e Museu A. Koenig (ZFMK), em Bonn, na Alemanha. A cada dois anos é definida uma pessoa agraciada com o prêmio e, segundo a pesquisadora, ter seu trabalho reconhecido por um país com o qual já trabalhava em cooperação foi de grande relevância. “Foi muito emocionante, primeiramente por ter o reconhecimento dos pares em outro país, com o qual eu trabalho em cooperação há muitos anos. É uma forma de você perceber que o teu trabalho, de alguma forma tem algum impacto”, declarou.

*Por Eduardo Gomes*

Veja a notícia completa na página do INPA, clicando aqui !

Por Márcio Ferreira

Pesquisadora do ADAPTA apresentou trabalho em simpósio Latino-Americano na Alemanha

Maria Teresa Fernandez Piedade fez uma apresentação oral no “4th Latin America Symposium of Monitoring and Securing Biodiversity”, que foi realizado na cidade de Boon, na Alemanha no dia 09/12/2011. O tema da palestra, relacionado ao projeto ADAPTA, foi “The vegetation of the Amazon floodplains: adaptations for living at the edge”. De 1989 até hoje, temas sobre ecologia, biologia e biogeografia neotropical tem sido discutidos em simpósios Sul-americano conduzidos alternativamente pelo Instituto de limnologia Max-Planck e pelo Instituto de biogeografia da universidade de Saarbrücken, na Alemanha. Em 2008 foi organizado o primeiro simpósio Latino-Americano em Boon, quando 70 colaboradores aceitaram o convite. O grande sucesso do evento incentivou a sua realização anualmente, e ocorre até hoje. As metas são apresentar pesquisas ecológicas e criar uma plataforma para comunicação interdisciplinar e cooperação. O foco é toda a América Latina e ilhas do Pacífico.

 

Por Márcio Ferreira

Em entrevista ao G1, pesquisadora do ADAPTA fala sobre os impactos do novo código florestal na Amazônia

Até 25% da Amazônia pode ficar sem proteção legal, alerta cientista – Pesquisadores solicitam emenda específica no novo Código para o bioma.
Proposta deixaria vulnerável área equivalente ao dobro do estado de SP.

Juliana Arini Do Globo Natureza, em São Paulo

Mudança em uma expressão no projeto do novo Código Florestal pode deixar 25% da Amazônia sem proteção legal. O alerta é de uma equipe coordenada pelo Museu da Amazônia (Musa) e pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa).

Veja a Matéria completa em:http://g1.globo.com/natureza/noticia/2011/09/ate-25-da-amazonia-pode-ficar-sem-protecao-legal-alerta-cientista.html

Por Márcio Ferreira